sábado, 29 de abril de 2017

Saiba qual a importância de dormir bem

Dormir bem é um dos segredos para uma vida saudável. Isso contribui para a melhora do metabolismo, ter disposição e prevenir doenças crônicas.
  
Um dos segredos para uma vida saudável é ter boas noites de sono. Dormir bem contribui para a melhora do metabolismo, ter disposição e prevenir doenças crônicas. “Uma noite de sono mal dormida pode aumentar a necessidade do corpo por insulina em até 30% de um dia para o outro. É como ter comido um prato de macarrão, levando a ganho de peso em longo prazo. Pessoas que dormem menos de 7h às vezes não se sentem cansadas com a falta de sono. Contudo, elas já apresentam alterações associadas a baixa qualidade do sono”, observa Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio-Libanês.

Em pesquisa desenvolvida por cientistas da Endocrine Society, dormir pouco também pode aumentar o risco de osteoporose e de fraturas. O motivo seria que, sem o sono adequado, o esqueleto humano acaba não se renovando. Outros estudos apontam que a apneia do sono (um distúrbio grave, mais associado a obesidade) também poderia levar à osteoporose.

Como dormir melhor?

O endocrinologista Renato Zilli elaborou algumas dicas sobre como aproveitar melhor a noite para colocar o sono em dia

Tente acalmar a mente ao deitar, foque no corpo ou nos movimentos da respiração.

Evite gorduras e carboidratos simples à noite, eles alteram o sono e quanto mais tarde forem ingeridos, maior tende a ser a interferência no padrão do sono.

Aromas como lavanda produzem comprovadamente relaxamento na hora de dormir.

Dormir com a tv ligada comprovadamente engorda, procure deixar o quarto todo escuro e sem ruído.

Diminua a luminosidade da casa 1h antes de dormir, atualmente os celulares já vem com essa função. 

Ficar de olho no celular com tela muito clara dificulta o início do sono.

Ingira a última xícara de café até após o almoço, pois a cafeína fica no sangue por 9 horas.

Crie uma rotina com horário certo para dormir.

Prefira fazer atividade física pelo menos 3 h antes de dormir.


Fonte: http://www.sportlife.com.br/saude/dormir-bem/ - por Fabio Toledo - Foto: iStock/Getty Images

sexta-feira, 28 de abril de 2017

7 alimentos que contribuem para a queima de gordura

Passar fome nunca é o caminho correto para emagrecer. Se você apostar nos alimentos corretos, conseguirá atingir seu objetivo mais rápido do que imagina. Confira os 7 alimentos que contribuem para a queima de gordura

Se seu objetivo é emagrecer, você já deve saber que passar fome nunca é o caminho. Segundo Rodrigo Polesso, especialista em Nutrição Otimizada para Saúde e Bem-Estar e criador do programa online de emagrecimento Código Emagrecer de Vez, “para ter uma vida saudável e magra, é preciso consumir alimentos verdadeiros, ou seja, alimentos que estão alinhados com o funcionamento normal dos hormônios do corpo e do seu metabolismo”.

Segundo ele, o grande segredo do emagrecimento está no consumo de alimentos capazes de promover a retomada do funcionamento normal metabólico e hormonal do corpo, com destaque para o restabelecimento do funcionamento correto da insulina. “A insulina é o hormônio principal que regula o armazenamento de gordura, promovendo a absorção da glicose do sangue pelos músculos e pelo tecido adiposo, fazendo com que a gordura seja estocada cada vez mais, independente da quantidade de alimentos ingerida”, explica. Por isso, o profissional ressalta que não é preciso se forçar a consumir menos alimentos em quantidade, uma vez que se foque na qualidade que se come. Assim, Polesso listou 7 alimentos que contribuem para a queima de gordura:

1. Couve-flor
Segundo o especialista, este legume, além de rico em nutrientes, pode substituir diversos alimentos cheios de carboidratos densos e de rápida absorção. “É possível fazer pizza com massa de couve-flor, evitando o consumo de carboidratos refinados.”

2. Atum
Entre as carnes e peixes disponíveis, o atum é um exemplo prático e nutritivo de alimento que ajuda o corpo a regular a insulina e, por consequência, queimar gordura. O especialista alerta para que se dê preferência ao peixe in natura ou em água. “Quanto mais evitarmos óleos vegetais, os quais são pro-inflamatórios, melhor.”.

3. Azeite de dendê/oliva
Polesso destaca que os óleos vegetais mais comuns possuem efeito retardador no organismo, ou seja, promovem quadros de inflamação e hoje estão associados com diversas condições de saúde, entre elas o ganho de peso e problemas cardíacos. “O azeite de dendê ou de oliva são ótimas opções para as receitas que levam este tipo de ingrediente”, conta.

4. Ovos
Considerados um dos verdadeiros coringas na alimentação saudável, os ovos são ricos em proteínas e gordura de alta qualidade, o que faz com que sejam ótimos controladores do hormônio insulina. “Ovos inteiros, de preferência caipiras, são alimentos muito bem-vindos no café da manhã, e podem substituir o pão”, sugere o especialista.

5. Chá
Todos os tipos de chás são ótimas opções de alimentos aceleradores, ou seja, podendo ser ótimos aliados na implantação de um estilo de vida saudável que substitui outras bebidas adoçadas e/ou artificiais que promovem o ganho de peso, desde que não sejam adoçados com açúcar e sim com adoçantes naturais, como o Xilitol, Eritritol, Stévia. “Os chás de todos os tipos também são ótimos para ajudar a controlar a vontade de comer doces”, destaca.

6. Semente de girassol
Na categoria de sementes, quase todas são bem vindas em uma alimentação variada e saudável. Segundo Polesso, sementes podem ser usada em saladas e muitas outras receitas. “Prefira não usar versões em farelo ou industrializadas”.

7. Morango
O profissional alerta que, ao contrário do que muitos pensam, nem todas as frutas contribuem para a queima de gordura. “Muitas das frutas são consideradas moderadoras, principalmente as de alta carga glicêmica, podem retardar o emagrecimento ao invés de promovê-lo.”. O morango é uma das opções que contribui para a regulamentação da insulina, ao lado do abacate, limão, cranberry, mirtilos e coco, conforme ensina o especialista.


quinta-feira, 27 de abril de 2017

9 medidas que prometem ajudar a melhorar a qualidade do sono

Essa dica é para você que tem dificuldade de dormir bem, anote já 9 medidas que prometem ajudar a melhorar a qualidade do sono

1. Faça a última refeição até às 20h. Prefira pratos leves e de fácil digestão.

2. Evite alimentos estimulantes, como chá preto, café e refrigerantes.

3. Faça alguma atividade física, mas prefira fazê-la antes das 18h.

4. Reduza a luz do ambiente, isso ajuda o cérebro a secretar o hormônio do sono.

5. Faça atividades agradáveis à noite, como ouvir música ou ler, mas fora do quarto de dormir.

6. Se possível, cochile mesmo que por pouco tempo durante o dia.

7. Estabeleça uma rotina e procure dormir sempre no mesmo horário.

8. Tire o relógio do ambiente que dorme, isso gera ansiedade.

9. Evite ficar na cama “esperando o sono chegar”, só se deite quando for dormir.


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Cientistas descobrem a melhor atividade física para retardar o envelhecimento

Não chega a ser segredo o fato de que a prática regular de atividades físicas contribui para a manutenção do peso, fortalecimento dos músculos e para a saúde em geral. Mas saiba que existe um tipo específico de atividade que pode até mesmo retardar o envelhecimento.

De acordo com um estudo realizado pela Clínica Mayo, nos Estados Unidos, os exercícios intensos são os mais indicados para ajudar no bom funcionamento das células musculares, diminuindo assim os danos causados pelo avanço da idade.

Treino de alta intensidade retarda o envelhecimento

Publicada na revista científica Cell Metabolism, a experiência contou com a análise de células de 72 homens e mulheres de até 30 anos ou mais de 64 anos. Todos os voluntários eram saudáveis, mas sedentários.

Os participantes do estudo foram distribuídos em cinco diferentes grupos, aleatoriamente: um dos grupos não se exercitava e os outros quatro seguiam rotinas de exercícios diferentes, como musculação intensa várias vezes por semana, musculação leve, treino intervalado de alta intensidade (HIIT) três vezes por semana em bicicleta, além de 30 minutos pedalando em bicicletas ergométricas em ritmo moderado.

Depois do período de 3 meses, os pesquisadores realizaram novos exames e testes com os voluntários, incluindo biópsias de células musculares. Os resultados mostraram que, entre os mais jovens que se exercitavam intensamente, 274 genes passaram por mudanças de níveis de atividade, em comparação com 170 genes dos que praticavam treinos moderados e 74 dos que apenas fizeram musculação.

O estudo ainda observou que, entre os mais velhos, os voluntários que levaram uma rotina intensa de treinos apresentaram melhora em cerca de 400 células, comparado com apenas 33 dos que faziam musculação e 19 entre os voluntários que se exercitaram de forma moderada.


Tarde Esportiva do Colégio Dom Bosco


terça-feira, 25 de abril de 2017

Saiba qual a importância de aquecer e alongar

Se você costuma ignorar estes dois passos antes e depois do treino, entenda por que eles são tão importantes

Você é do time daquelas que preferem pular o aquecimento, ir direto ao treino e depois ignorar o alongamento? De acordo com o ortopedista Antonio Alexandre Faria, da clínica North Trauma, em São Paulo, o aquecimento e o alongamento são chave para quem treina, seja qual for a modalidade.

Os exercícios de aquecimento (como os alongamentos dinâmicos) preparam os músculos para o treino e ajudam a prevenir lesões. “O alongamento relaxa a musculatura trabalhada, tornando-a mais flexível e preparada para que, após o descanso, possa receber uma nova carga de treino”, fala.


Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/fitness/treino-sob-medida/saiba-qual-a-importancia-de-aquecer-e-alongar/11400 - Por Rita Santander e Marcia Di Domenico | Adaptação Ana Paula Ferreira

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Exercício pode anular efeitos da obesidade no coração, diz estudo

Pesquisa recente mostra que o sedentarismo pode ser pior para a saúde cardiovascular do que o excesso de peso

Exercício é remédio, sim! Várias pesquisas já apontaram os benefícios de incluir a atividade física no dia a dia. A mais recente foi publicada em março de 2017 no periódico European Journal of Preventive Cardiology e mostra que, para um coração saudável, não basta estar no peso ideal – é preciso caminhar, pedalar, nadar…

Os estudiosos analisaram, ao longo de 15 anos, a rotina de exercícios e o índice de massa corporal de 5,3 mil homens e mulheres com mais de 55 anos que praticavam exercício de duas a quatro horas por dia. As atividades incluíam bicicleta, caminhada e trabalhos domésticos.

Chamou a atenção dos experts o efeito protetor do exercício quando o assunto é a saúde do coração – principalmente no que se refere à aterosclerose, o acúmulo de gordura nas artérias. Os pesquisadores notaram que aqueles que levavam uma vida ativa, mesmo estando acima do peso ideal, não apresentavam um risco maior de enfrentar encrencas cardíacas.

Essa probabilidade aumentou entre os obesos que tinham uma rotina mais sedentária. “Nossos resultados evidenciam que a atividade física tem um papel fundamental na saúde de pessoas de meia-idade e dos idosos”, comentou Klodian Dhana, autor da investigação.

Você ainda está longe de chegar à casa dos 50? Está aí mais um motivo para incluir exercícios no dia a dia. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) são 150 minutos semanais de atividade física, o equivalente a 30 minutos por dia. E não precisa de uma academia para cumprir essa meta. Preferir a escada ao elevador e tentar andar ao invés de pegar o carro já são ótimas maneiras de se mexer. Seu futuro agradece.


Fonte: http://boaforma.abril.com.br/saude/exercicio-pode-anular-efeitos-da-obesidade-no-coracao-diz-estudo/ - Por Caroline Randmer e Luiza Monteiro - microgen/Thinkstock/Getty Images

domingo, 23 de abril de 2017

Colégio O Saber realizará a 1ª fase da 12ª edição dos Jogos Internos

Sempre inovando e sabendo da importância do esporte na formação integral dos seus alunos, o Colégio O Saber realizará a 12ª edição dos Jogos Internos – JICOS em duas fases, a primeira, no período de 27 a 29 de abril e a segunda, de 05 a 07 de outubro. Este ano, participarão dos jogos mais de 400 alunos do 1º ano do ensino fundamental a 3ª série do ensino médio.

     A primeira fase dos jogos será disputada por 20 turmas divididas em 5 categorias nas seguintes modalidades e sexo: atletismo masculino e feminino, basquete masculino e feminino, futebol masculino, futsal masculino, handebol feminino, judô masculino e feminino , natação masculino e feminino , queimado feminino e competições de estafetas misto.

     A abertura dos jogos acontecerá nesta quinta-feira, 27 de abril, a partir das 08 horas com a seguinte programação: desfile das equipes participantes, juramento do atleta, juramento do árbitro, acendimento da pira olímpica, entrada das Bandeiras, canto do Hino Nacional, declaração de abertura pelo Diretor Everton Oliveira e apresentações artísticas. Após a solenidade de abertura será realizada a competição de estafetas com os alunos do 1º ano.

      As competições serão realizadas pela manhã e à tarde na quadra esportiva Emílio de Oliveira. As competições de atletismo, futebol e natação serão realizadas no clube BNB.

Programação dos JICOS 2017:

Quinta-feira
Manhã – Solenidade de abertura
               Competição de Estafeta – fundamental I – 1º ano
               Competição de Estafeta – fundamental I – 2º e 3º ano
               Jogos de Queimado misto – fundamental I – 4º e 5º ano
Tarde – Jogos de basquete – masculino e feminino - fundamental II e médio

Sexta-feira
Manhã – Jogos de Futsal - masculino– fundamental I – 4º e 5º ano
               Jogos de Handebol – feminino – fundamental I – 4º e 5º ano
               Jogos de Queimado misto – fundamental I – 2º e 3º ano
Tarde – Jogos de Queimado – feminino – fundamental II e médio
             Jogos de Futsal - masculino – fundamental II e médio

Sábado
Manhã - Competições de atletismo, futebol, judô e natação – fundamental II e médio
Tarde – Jogos de Handebol – feminino – fundamental II e médio

O esporte e a educação física formam o aluno para a faculdade da vida.


Por Professor José Costa