segunda-feira, 4 de junho de 2012

Acessórios ideais para praticar atividade física


Na hora de fazer uma atividade física o praticante precisa escolher a academia que vai fazer a musculação, o parque onde pretende caminhar ou até qual exercício prefere praticar. Mas são poucas pessoas que se preocupam em utilizar a roupa adequada e o tênis mais indicado para se exercitar. Tais acessórios são importantes, pois garantem um bom desempenho e evitam problemas como lesões por usar um calçado errado, por exemplo.

Segundo Paulo Potiguara Novazzi, médico fisiatra e algologista da Unimed Paulistana, cada atividade física pede uma roupa diferente e adequada. "É fácil perceber isso quando vemos atletas de diferentes modalidades com figurinos específicos. Atualmente, cada esporte tem uma tecnologia de roupa que pode ser facilmente acessada e pesquisada nas grandes lojas do segmento esportivo", explica.

"A roupa deve ser compatível com as condições climáticas onde o exercício será realizado, bem como com o tipo de movimentação corporal", alerta Renato André, fisiologista do CEMEx, Centro de Excelência em Medicina do Exercício, em Brasília. "No geral, as roupas leves de tecidos finos e naturais são uma boa pedida. E a roupa não deve ser nem justa nem larga demais, pois os movimentos devem estar livres", esclarece Paulo.

Além disso, existem materiais, como o linho e o algodão, que permitem muito mais a evaporação do suor do que os tecidos plásticos e a lã. "Hoje em dia as indústrias têxtil e de materiais esportivos têm desenvolvido diversos tecidos com essas finalidades. Podemos citar o exemplo do dry fit, um tecido feito com poliamida e elastano que tira a umidade do corpo e a transporta para fora. Sem dúvida nenhuma, roupas leves, que permitem uma melhor execução dos movimentos, e com tecidos frescos, que facilitem a evaporação do suor e protejam contra os raios solares, são ideais para praticar atividades físicas", afirma Rogério Padovan, médico especializado em Medicina Esportiva e Nutrologia pela USP.

Mesmo em dias de muito calor algumas pessoas optam por utilizar calça e casaco quando vão praticar alguma atividade física, pois acreditam que vão suar mais e acelerar o processo de emagrecimento. "Exercício no calor com vestimenta pesada é um dos maiores mitos do mundo da malhação. Há décadas sabemos que tal atitude é equivocada, pois provoca desidratação, queda de desempenho esportivo e, em casos extremos, pode induzir ao malsúbito. Qualquer praticante de exercício submetido a um grande estresse térmico, de frio ou calor, terá seu rendimento reduzido caso não se previna com as roupas adequadas", adverte o fisiologista Renato André.

"A perda de água e consequentemente de peso provocada pelo superaquecimento do corpo, além de incômodo e estressante, é irreal em termos de emagrecimento. Afinal, no momento seguinte, o sintoma de sede provocado pela desidratação leva o indivíduo a procurar a reidratação e ele recupera o peso perdido durante o treino", explica Novazzi.

Em alguns esportes de alto rendimento e competitivos, como o MMA, os atletas buscam esse tipo de recurso para a perda de peso. "No entanto, são pessoas preparadas para tal ocasião e os praticantes de atividade física não devem realizar tal procedimento. Isso altera o metabolismo corpóreo e é prejudicial, podendo causar danos à saúde", alerta o médico Padovan.

Utilizando a roupa correta, o praticante de exercícios vai garantir um melhor rendimento durante a atividade física. "A roupa garante a máxima performance mediante o condicionamento da pessoa. Já a vestimenta inadequada pode diminuir o rendimento mesmo daquele que esteja bem treinado", avisa Renato André. "Hoje, as roupas esportivas são pensadas não apenas em termos de estética e conforto, mas também em desempenho. Prova disso pode ser visto nos maiôs tanto masculinos como femininos utilizados pelos nadadores profissionais e nos tênis de corrida, cada vez mais tecnológicos, que prometem um melhor desempenho", comenta Novazzi.

O fundamental é que as peças sejam leves e proporcionem mobilidade, mas outras características devem ser levadas em conta dependendo do tipo de atividade física. "A evaporação do suor é um mecanismo imprescindível para a regulação da temperatura corporal, que é controlada por um constante equilíbrio entre a intensidade da perda do calor e a intensidade da produção de calor. Além da evaporação da água pela pele através do suor e pelos pulmões, o calor é perdido por outros dois meios: a radiação e a condução para o ar e para objetos sólidos. Ou seja, aquelas pessoas que estão se exercitando agasalhadas, formando uma barreira para a evaporação do suor, além de colocar em risco o funcionamento de seu organismo, estão perdendo menos calorias do que se estivessem fazendo a mesma atividade sem o agasalho", ressalta Padovan.

Assim como as roupas, os calçados também dependem do tipo de atividade física praticada e do biotipo do atleta. "Os movimentos específicos de cada esporte oferecem impactos diferentes em áreas específicas dos pés, portanto exigem do tênis reforços especiais nas regiões mais solicitadas", afirma o médico Padovan. "Há esportes cujo impacto maior ocorre na parte plantar, próximo aos dedos, como o vôlei e o basquete. Já a caminhada e a corrida impactam a parte plantar do calcanhar, exigindo assim reforços e matérias com densidade diferentes nestas partes do tênis. Portanto, há uma necessidade de adquirir um par de tênis ideal para cada prática esportiva, assim como seria ideal realizar um exame de análise do tipo e do impacto da passada pessoal, já que cada pessoa apresenta individualidades anatômicas e mecânicas nos movimentos", comenta o especialista.

"Não podemos nos esquecer de que o calçado é a roupa dos pés. Assim como as roupas do corpo, as dos pés também são cheias de detalhes técnicos e muito estudo biomecânico. Por isso, para cada atividade física, se preocupe em adquirir um calçado ideal. Faça um teste: tente correr dez quilômetros com um tênis de basquete ou fazer uma escalada de montanha com uma chuteira de futebol", esclarece o doutor Novazzi.

Tal teste não daria certo, pois cada modalidade exige um calçado específico. "No ciclismo utiliza-se uma sapatilha com solado rígido, que possui um taco que é plugado ao pedal. Na corrida, o tênis deve permitir a movimentação do arco plantar e precisa ter amortecimento nos calcanhares. Para jogar basquete, o mais comum é utilizar tênis de cano alto e com solado com grande espessura. O ideal, após definida a modalidade, é procurar profissionais e lojas especializadas", explica o fisiologista Renato André.

O calçado errado pode trazer problemas para quem pratica atividade física. "O tênis errado não oferece o que o certo assegura quanto a absorção, flexibilidade e distribuição do impacto em um determinado movimento esportivo, deixando os pés e toda a estrutura articular vulnerável a impactos excessivos e torções, que podem gerar desde pequenos traumatismos até verdadeiras lesões ortopédicas mais graves. Também há consequências ortopédicas para a pessoa que tem um pé plano, por exemplo, e compra um tênis para pé arqueado ou normal. Hoje, a tecnologia empregada na fabricação de calçados esportivos apresenta tênis que respeitam o desenho e a curvatura do pé de cada pessoa", ressalta o médico Padovan.

"A utilização do tênis incorreto geralmente traz problemas relacionados a dores agudas ou crônicas na região dos pés, tornozelo, calcanhar e pernas. Dores lombares e até mesmo cervicais podem ser reflexos do uso de calçados inadequados", adverte Novazzi. "O uso do tênis errado traz tanto problemas técnicos como também lesões. Um mesatenista jogando com tênis de cano alto limitará a movimentação de seus tornozelos, enquanto um corredor que competir com um tênis de couro fechado dificultará o resfriamento de seus pés. Estes são exemplos de problemas técnicos. Já as lesões são bem comuns quando se utiliza calçados inadequados. Um exemplo seria uma jogadora de vôlei calçando um tênis com solado de borracha com baixa aderência, que pode sofrer um entorse de tornozelo na aterrissagem de um salto", afirma Renato André.

Os praticantes de atividade física geralmente são adeptos dos isotônicos, bebidas que repõem água e sais minerais perdidos pela transpiração na hora dos exercícios. "Os repositores hidroeletrolíticos são fundamentais porque colaboram na manutenção das funções orgânicas durante o exercício. Quando suamos perdemos sódio, potássio e outras substâncias que não são repostas através da hidratação com água. Caso essas substâncias não sejam repostas pode ocorrer letargia, câimbras e queda de desempenho", esclarece o fisiologista Renato André.

"Os isotônicos são substâncias que repõem a perda de carboidratos e minerais durante as atividades físicas. Ou seja, são reguladores da bomba de sódio e potássio, que resultam em um equilíbrio dos minerais corpóreos e que são importantíssimos em atividades físicas com perda acentuada dessas substâncias. Mas, não é legal tomar isotônicos a todo momento, somente quando falamos em atividade física, pois pode ocorrer o desiquilíbrio orgânico originando um retenção hídrica devido ao excesso de sais", adverte o médico Padovan.

O praticante de exercícios deve ter alguns cuidados ao beber isotônicos. "São bebidas recomendadas apenas àqueles que praticam atividades físicas extenuantes , de mais de uma hora, e devem ser ingeridos logo em seguida aos exercícios. Quem não tem esse grau de desgaste e faz uso dessas bebidas, que são carregadas de sais de reposição, pode correr riscos como pedra nos rins e até arritmias cardíacas por excesso de sais", alerta Novazzi.

Portanto, para a boa prática da atividade física, faça uso das roupas indicadas, de tênis adequados e beba isotônicos segundo as recomendações médicas. Com o uso dos acessórios corretos, os exercícios trazem mais resultados e o praticante fica mais animado e satisfeito.


Fonte: http://bbel.uol.com.br/qualidade-de-vida/post/acessorios-ideais-para-praticar-atividade-fisica.aspx - Por Loreta Fagionato - Equipe BBel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário