quarta-feira, 28 de junho de 2017

3 dietas que ajudam as pessoas a viver até os 100 anos

Aprenda com os mais velhos: descubra quais alimentos fazem parte da dieta das pessoas que vivem por mais tempo e adicione-se ao seu prato

Quantos anos você gostaria de viver? Oitenta? Noventa? Cem anos? Se seus planos de longevidade são ousados, é provável que você saiba que precisa seguir algumas recomendações para conservar a saúde.

Manter uma rotina de exercícios físicos, ficar longe do cigarro, evitar o consumo de bebidas alcóolicas e ter uma dieta saudável são alguns dos hábitos que devemos praticar para aumentar nossa expectativa.

Inclusive, pode ser bem interessante prestar atenção nos hábitos de algumas populações que costumam viver mais do que a média e trazer alguns deles para a nossa vida.

Por isso, vale a pena conhecer a dieta de três comunidades com uma alta porcentagem de habitantes que passem facilmente dos anos, cheios de saúde para dar e vender. Descubra quais são os alimentos que eles mais consomem e adicione-os ao seu prato hoje mesmo!

1. Dente-de-leão e grão-de-bico
Em uma ilha remota da Grécia chamada Ikaria, 97% dos seus moradores passam dos 70 anos – e raramente algum deles apresenta sinais de demência. Por lá, um alimento muito comum são as folhas de dente-de-leão, que é consumido cozido como o espinafre. Esse alimento tem 10 vezes mais antioxidantes que o vinho e é rico em prebióticos.

Além do dente-de-leão, os gregos da ilha de Ikaria também são fãs do grão-de-bico, um cereal muito versátil que pode ser consumido na forma de salada, sopas ou substituindo o arroz e o feijão de vez em quando.

2. Arroz, feijão e tortilha
Qualquer nutricionista diria que consumir arroz, feijão e tortilha não é uma boa ideia para quem está tentando emagrecer, mas parece que essa combinação contribui muito para a longevidade dos moradores da Península de Nicoya, na Costa Rica.

Por lá, uma em cada 250 pessoas ultrapassam os 100 anos de idade, enquanto apenas uma em cada 4 mil atinge essa marca nos Estados Unidos – onde as condições de vida seriam supostamente melhores.

3. A dieta do Jardim do Éden
A uma hora de Los Angeles, na Califórnia, está a cidade de Loma Linda, onde quase metade dos seus moradores pertencem à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Por lá, a maior parte dos membros da igreja não comem carne ou peixe, e eles se mantêm bem longe do cigarro e do álcool. E isso parece valer a pena, pois eles costumam viver 10 anos a mais do que o resto da população do país.

Em Loma Linda, ter uma dieta saudável é parte dos preceitos da religião, e o cardápio consumido pelos seus moradores tem inspiração no Jardim do Éden bíblico. Dessa forma, a dieta dessas pessoas consiste basicamente em feijões, nozes, mingau de aveia, pão de trigo integral e leite de soja.

Os moradores de Loma Linda também procuram tomar de seis a oito copos de água por dia, conforme foi recomendado por uma das fundadoras da religião, Ellen G. White, há mais de 150 anos. Além disso, eles estão sempre em movimento e costumam fazer muitas caminhadas.

É claro que a genética também conta muito para a expectativa de vida de uma população, mas, conforme você pôde ver, não é tão difícil assim incorporar alguns desses alimentos que prometem vida linga ao seu prato, não é mesmo?


Fonte: https://www.dicasdemulher.com.br/dietas-viver-100-anos/ - Raquel Praconi Pinzon - Foto: iStock

terça-feira, 27 de junho de 2017

Quando usar gelo ou compressa quente em lesões?

Usar compressas de gelo ou compressas quentes em lesões é muito comum. Não sabe qual das alternativas é a ideal para cada tipo de lesão? Nós te ajudamos

A utilização de compressas de gelo ou de compressas quentes em lesões é muito comum.

“Embora sejam ótimos analgésicos locais, muita gente não sabe qual das alternativas é a ideal para cada tipo de lesão”, afirma o coordenador do Núcleo de Ortopedia do Hospital Samaritano de São Paulo (SP), dr. Luiz Fernando Cocco.

Quando usar o gelo em lesões?
O gelo é um anti-inflamatório natural. Por isso, é indicado para amenizar inflamações ou imediatamente após um trauma local. “Acidentes que possam causar edemas ou hematomas, como pancadas e torções, devem ser tratados com gelo. A temperatura fria contrai e diminui o fluxo de fluidos”, explica o ortopedista. O gelo também age como analgésico, portanto bastante utilizado em esportes de impacto.

A compressa fria deve ser utilizada, preferencialmente, três vezes ao dia durante 20 min, aproximadamente. É importante também não deixá-la parada no mesmo local por mais de um minuto para não causar queimaduras locais”, ensina dr. Cocco.

O gelo deve ser utilizado com parcimônia nas extremidades, como dedos, nariz ou próximos a trajetos nervosos superficiais, como face interna do cotovelo ou externa dos joelhos, pois a temperatura baixa pode agredir as estruturas nervosas do local”, complementa o especialista.

E a compressa quente?
Ela age no corpo como um relaxante muscular. É indicada quando a pessoa tem tensões musculares esporádicas, como torcicolos de causa não traumática ou fadiga muscular na região da lombar.

“O calor é um potente vasodilatador, o que acarreta no aumento da vascularização e oxigenação da musculatura”, orienta o especialista. A compressa não pode ser usada por muito tempo para que não ocorram queimaduras ou em regiões do corpo que são menos aquecidas, como o rosto, ou o dorso das mãos e pés. “Evite também colocar a compressa sobre hemorragias ou hematomas, pois a vasodilatação pode aumentar o risco de sangramento”, reitera dr. Cocco.

Para obter bons resultados, a compressa deve ser feita de duas a três vezes ao dia. A temperatura deve estar de acordo com a resistência da pessoa, deixando-a no local até esfriar.


Fonte: http://www.sportlife.com.br/saude/gelo-compressa-quente-lesoes/ - por Victor Moura - Foto: iStock Images

segunda-feira, 26 de junho de 2017

8 fatos surpreendentes sobre saúde do homem mostram porque mulheres vivem mais

Expectativa de vida, má alimentação, consumo de álcool, de tabaco e mais doenças… São muitos os índices em que o homem apresenta números muito piores que as mulheres no quesito saúde. As evidências demonstram que a população masculina vive menos e tem sua qualidade de vida como resultado de um estilo de vida menos saudável e falta de cuidados com seu corpo.

Listamos aqui oito sinais de atenção para os homens:

Homens vivem menos por causa de seus cérebros
A expectativa de vida média dos brasileiros é bem inferior à das brasileiras. A população geral de nosso país vive 75,5 anos, sendo que as mulheres vivem até os 79,1. Para os homens, a expectativa é de apenas 71,9 anos. E não é um fenômeno tipicamente brasileiro, não. Nos EUA a tendência é a mesma: mulheres vivem até 81,2 anos, enquanto homens, 76,3 anos.
Segundo estudo do professor Robert Shmerling, da Universidade de Harvard, parte da explicação para isso está no “destino biológico” masculino. Ele explica que o lobo frontal do cérebro, que é a região que controla julgamentos e consequências, se desenvolve mais lentamente em homens que em mulheres. Isso explicaria porque a população masculina se envolve muito mais em acidentes ou episódios de violência, ou mesmo porque bebem, fumam e comem mal.

Mais sal, gordura e refrigerante
A falta de cuidado na alimentação também é uma característica prioritariamente masculina, e envolve consumo de açúcares, sal e gordura. Um dos índices que mede consumo de açúcares é a ingestão de refrigerantes: no Brasil, 25% dos homens tomam regularmente; mulheres são 19%.
Em relação à alimentação excessiva de sal em sua dieta, 16% dos homens brasileiros estão acima do recomendado; são 12% das mulheres. A diferença mais nítida é na quantidade de gordura animal: 28% das brasileiras reconhecem excesso de consumo, entre os homens são 47% do total.

Mais tipos de câncer
De acordo com levantamento realizado pelo IBGE, 51% das mulheres brasileiras que apresentam diagnósticos de câncer têm tumores relacionados exclusivamente ou à mama ou ao colo de útero.
Nos homens, os casos de câncer de próstata representam 37% do total, o que significa que as incidências de tumores em outros órgãos do corpo é proporcionalmente maior: 18,7% são na pele; 10,4% no intestino; 5,1% no estômago; 1,6% no pulmão.

Álcool: homens são mais dependentes
Uma pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças norte-americano constatou que, nos EUA, 4,5% da população masculina do país é considerada dependente do álcool; a população feminina tem 2,5%.
No Brasil, 36% dos homens afirma ter consumido álcool pelo menos uma vez na última semana; entre mulheres, índice é de 13%. Quando perguntados sobre terem bebido além da conta, diferença é maior: 21,6% dos homens assumem terem exagerado no álcool, mais de três vezes os 6,6% das mulheres.

Fumam 4 vezes mais
Dos aproximadamente um bilhão de fumantes regulares em todo mundo, 800 milhões são homens. No Brasil, segundo o IBGE, a proporção é bem menor, mas mesmo assim a diferença é considerável: 11% das mulheres brasileiras fumam regularmente, enquanto entre homens o índice é de 19%.
O risco de morte decorrente do tabaco também afeta mais ao sexo masculino: segundo a OMS, todo ano morrem 5 milhões de pessoas por causa do cigarro, 3,5 milhões são homens.

Homens vão menos ao médico
Quantas vezes você vai ao médico para uma consulta preventiva? Se você for homem, é provável que a resposta seja 50% menor do que de uma mulher. É o que diz uma pesquisa realizada pelo sistema de saúde de Orlando: em dois anos, homens visitam seus médicos 50% menos e é três vezes mais provável que um homem passe até cinco anos sem uma consulta médica.
A pesquisa constatou três justificativas masculinas: dizem ter coisas demais para fazer, afirmam ter medo de descobrir o problema e relatam constrangimento com certos exames clínicos (como o de toque de próstata).

Cometem mais suicídios
É verdade que há mais mulheres que tenham depressão e que até, em média, cometem mais tentativas de suicídio que homens. Mas são eles, de fato, que levam o ato até suas últimas consequências: segundo o Mapa da Violência, no Brasil, 78% dos suicídios são cometidos por homens. A hipótese mais recorrente é de que eles buscam muito menos ajuda para doenças mentais e evitam aceitar que apresentam quadros de depressão.

Problemas cardíacos são mais frequentes
De acordo com uma publicação do departamento de saúde da Universidade de Harvard, a incidência de doenças cardíacas é bem maior no sexo masculino: homens são 50% mais propensos a tê-las do que mulheres, sobretudo em idades mais baixas.
Médicos apontam que o organismo masculino ter menos estrogênio é um dos porquês, somado com falta de cuidados médicos, hipertensão e níveis altos de colesterol.


domingo, 25 de junho de 2017

Coçar os olhos pode causar miopia e outros problemas irreversíveis na visão

Quem é alérgico, vive coçando os olhos, o nariz, tossindo, espirrando e faz tudo isso quase que de forma automática. Se você faz isso e acha que não tem problema nenhum, saiba que as mãos nem precisam estar contaminadas para que você desenvolva um problema de saúde.

E não só os alérgicos que estão expostos a este risco. De acordo com o oftalmologista da clínica Oftalmed Marcos Ferraz, os olhos não foram feitos para ser tocados, muito menos coçados e, apesar de não doer, esfregar a mão sobre os olhos pode causar problemas de visão.

Perigo de coçar os olhos
Ferraz explica que ao coçarmos os olhos pode ocorrer a ruptura de fibras de colágeno da córnea e isto pode levar ao aumento do diâmetro dos olhos e alterações no formato da córnea.

Problemas de visão
“Astigmatismo, miopia e ceratocone são problemas causados pela mudança na curvatura da córnea e o hábito de coçar os olhos pode provocar esta alteração”, explica o oftalmologista.
O ceratocone é uma alteração na curvatura da córnea que faz com que ela fique com uma ponta e perca o seu formato original. Em casos bem avançados, é possível detectar a mudança a olho nu. Outro grave problema que este hábito pode causar é o deslocamento da retina.
Além destes problemas mais graves, quando as mãos entram em contato com os olhos, elas também podem transmitir vírus e bactérias que dão origem a inflamações e infecções, como tersol e conjuntivite.

Grupos de mais risco
Segundo Ferraz, se você é alérgico ou usa lentes de contato, precisa ter atenção redobrada porque as chances de coceira na região dos olhos são maiores.
“Seis em cada 10 pacientes alérgicos têm conjuntivite alérgica e ela pode provocar coceira. Além disso, os pacientes alérgicos têm muito mais ceratocone, que são as alterações na córnea”, comenta o oftalmologista.
Já as pessoas que usam lente de contato devem retirar as lentes caso sintam algum desconforto porque pressionar as lentes dentro dos olhos pode causar rupturas na córnea e infecções.

Coceira nos olhos: o que fazer?
Se você sente vontade coçar os olhos frequentemente ou observa que um ou ambos os olhos ficam irritados com frequência, deve procurar um oftalmologista para que ele faça uma avaliação para entender o que pode estar causando estes desconfortos.
Apesar de grande parte dos casos estarem relacionados a alergias, a coceira na região dos olhos também pode ser sintoma de problemas oftalmológicos, como a síndrome do olho seco (disfunção lacrimal) e conjuntivite.

Tratamento
“Se for devido a uma alergia, é preciso que o tratamento seja feito de forma sistêmica – ou seja, a pessoa deve tratar a alergia e também deve usar colírios prescritos a ela”, comenta Ferraz.
Como alguns colírios são vendidos sem prescrição médica, algumas pessoas acabam camuflando o problema sem procurar ajuda médica. Não faça isso!
O oftalmologista alerta que existem inúmeros tipos de colírio e que primeiro é indispensável conhecer a causa do problema para que o colírio correto seja indicado. Desta forma, é possível tratar o problema e minimizar o desconforto.


sábado, 24 de junho de 2017

15 dicas simples para evitar o estresse no dia a dia

Dormir bem, melhorar a alimentação e se exercitar são apenas algumas das sugestões que realmente fazem a diferença no nível de estresse

O estresse é, sem dúvidas, o “mal do momento”. Difícil encontrar alguém que nunca se rendeu a ele, manifestando sintomas como, por exemplo, falta de paciência com tudo e todos ao seu redor, noites mal dormidas, cansaço excessivo…

Lizandra Arita, psicóloga especialista em clínica e institucional, comenta que o termo estresse se aplica a qualquer estímulo ou mudança no meio externo ou interno gerador de tensão, que ameaça a integridade sócio-psicossomática da pessoa, em suas propriedades físico-químicas, biológicas ou psicossociais.

“O estresse pode ser causado por algo que requer uma adaptação ou mudança no nosso meio habitual. O corpo reage a estas mudanças com respostas físicas, mentais e emocionais”, explica a psicóloga.

É importante parar para pensar que até mesmo as crianças estão sujeitas a situações de estresse, quando, por exemplo, estão com prazo próximo para a entrega de trabalhos escolares, em meio a provas, etc. Mas, é claro, o problema costuma ser muito mais comum na vida adulta, quando as pessoas têm muitos compromissos para cumprir e, em determinadas fases, podem se sentir muito pressionadas neste sentido.

De acordo com Lizandra, as principais causas de estresse são:

Prévias de eventos importantes, como casamentos e festas de aniversário;
Morte de um ente querido;
Multidões;
Congestionamentos de trânsito;
Gravidez;
Acidentes;
Divórcio;
Emprego novo;
Prazos;
Questões judiciais;
Problemas financeiros;
Doenças.

Mas, a questão principal é: como lidar como o estresse? Existem dicas simples que podem ajudar e muito a controlar este mal!


1. Evite alimentos que podem aumentar o estresse
Lizandra destaca que a alimentação pode piorar e também melhorar os quadros de estresse. “Ou seja, o estresse do cotidiano pode ser potencializado pela má alimentação”, diz.
“O álcool e a cafeína podem afetar o humor, agindo no sistema nervoso central, provocando insônia, dores de cabeça, ansiedade e sintomas digestivos, como azia, dor de estômago, gastrite, má digestão. E como consequência do aumento da atividade do metabolismo, pode também haver fadiga muscular”, exemplifica a psicóloga.
Alguns alimentos agem no aumento do estresse, como refrigerantes, café, chás e chocolates. “Por isso é importante evitar esses alimentos, assim como os industrializados e os processados, as bebidas alcoólicas, os queijos amarelos e os carboidratos refinados (pães, bolos e massas com farinha branca)”, explica Lizandra.

2. Coma com calma
Além de evitar determinados alimentos, Lizandra explica que é importante comer de 3 em 3 horas, em ambientes calmos e sem barulho. “Isso ajuda muito no controle do estresse. Frutas, verduras e bastante líquido também fazem o corpo funcionar melhor, aliviando a mente. A mente fica mais sã quando o corpo está mais saudável, sem dúvida”, destaca.
  
3. Exercite-se frequentemente e com prazer
Não basta simplesmente dizer “eu vou à academia diariamente” e sentir que isso é um peso, uma obrigação… O ideal é que cada pessoa identifique o que acalma e abranda seu estresse, de acordo com a psicóloga Lizandra.
“Quando a pessoa pratica alguma atividade física, ela está liberando várias substâncias na corrente sanguínea que aumentam a sensação de bem-estar e prazer. A principal delas é a endorfina, substância natural produzida pelo cérebro durante e depois da atividade física. Ela é considerada um analgésico natural, reduzindo o estresse e a ansiedade, aliviando as tensões e sendo até recomendada no tratamento de depressões leves e moderadas”, explica Lizandra.

4. Escolha atividades que acalmem
Muitas pessoas se acalmam fazendo boxe ou correndo, por exemplo, mas, outras, podem se dar melhor com atividades mais calmas, como ioga, ou aderindo a massagens relaxantes, meditação, acupuntura…
O ideal é pesquisar sobre as mais variadas atividades e escolher aquela que realmente te dará prazer e permitirá que você relaxe, esquecendo-se dos problemas/preocupações do dia a dia.

5. Identifique a fonte de estresse
Pensar no que está causando o estresse é muito importante, exatamente para que se possa evitá-lo. A resposta provavelmente está dentro de você, mas, pode ser de extrema importância procurar ajuda profissional, então, não hesite em fazer isso!
“O estresse pode estar relacionado a questões práticas, mas também a questões emocionais diversas e, para ter um tratamento adequado, são indicados os profissionais de psicologia, os terapeutas e os psiquiatras”, destaca Lizandra.
“Psicólogo e terapeuta tratarão a parte emocional, ajudando o paciente a entender por que o estresse é disparado nele, e o psiquiatra ajudará com os medicamentos, controlando os sintomas e as crises mais severas”, acrescenta a psicóloga.

6. Organize-se para tornar seu dia mais leve
Organizar-se é muito importante, não no sentido de se cobrar mais, mas sim com a proposta de tornar seu dia a dia mais leve, de se concentrar no agora para não sofrer por antecipação.
Tenha uma agenda sempre à mão, afinal, você não precisa se lembrar de absolutamente tudo o que tem que fazer… Anote seus compromissos importantes e, sobretudo, saiba separar “o que precisa ser feito hoje” do “que pode ser feito amanhã”…
Isso, porém, é bem diferente de procrastinar! Então, tente manter sua agenda sob controle para evitar o acúmulo de tarefas e, naturalmente, mais estresse.

7. Extravase suas emoções
Faça isso não só se exercitando, mas também expondo seus sentimentos, falando sobre eles, seja com profissionais, seja com amigos.
Mas, além disso, sorria! Dê gargalhadas! Fale sobre coisas boas, seja positivo (e não fique só falando sobre seus problemas)… Por mais clichê que pareça, rir ainda é o melhor remédio!

8. Desacelere
Cada pessoa tem seu ritmo, por isso, aprenda a respeitar o seu. Tem um colega de trabalho que produz muito mais que você no dia a dia? Paciência, este é o ritmo dele, e não o seu!
Mude também pequenos hábitos no seu dia a dia: almoce com calma, saboreando a refeição; reserve uns minutinhos para tomar seu café; respire, comece a praticar o famoso “inspire pelo nariz e expire pela boca” quantas vezes forem necessárias para acalmar os ânimos, entre outras coisas simples.

9. Não leve tudo tão a sério
Recebeu uma crítica? Não se exalte. Com calma, reflita sobre ela… Se achar que ela é válida/construtiva, ótimo, tente melhorar neste ponto… Mas, se achar que ela não serve para você, simplesmente ignore.
Não faça tempestade em copo d’água diante de pequenos imprevistos, chateações e problemas.

10. Reserve um momento do dia para simplesmente descansar
Intervalos são importantes. Dedique ao menos 10 minutos do seu dia para simplesmente relaxar, seja no trabalho, em casa ou dentro do carro. Mas, neste momento, desligue-se totalmente do resto: celular, computador, TV, etc.

11. Saiba dizer “não” e se impor
Recebeu novas tarefas no seu serviço e acha que não dará conta? Não tenha medo de dizer isso! Seja sincera consigo mesma e admita quando não for capaz de realizar certos tipos de tarefas ou não tiver tempo para isso.
Recebeu o pedido de ajuda de um amigo, mas, neste momento, não pode ajudar? Explique isso a ele e pergunte se vocês não podem resolver isso depois.
Acha que está sobrecarregado no trabalho? Converse com os responsáveis, exponha isso… Nem sempre o outro sabe o que se passa na sua vida e dentro de você.

12. Reserve pelo menos algumas horas na semana para fazer algo que você goste
Vá ao shopping, saia para um bar ou restaurante com amigos ou namorado, assista a um filme ou a uma série em casa… Faça isso tudo sem se cobrar em relação a horário!
Muitas vezes, os pequenos momentos de prazer como estes ficam “reservados” apenas para o final de semana, mas é bom vivê-los em meio à semana também, tornando-a assim mais leve e gostosa.

13. Aproveite o seu final de semana
No final de semana em especial, desligue-se do trabalho. Viaje, saia com os amigos, reúna-se com a família, durma mais… Faça todo tipo de coisa que, por mais simples que pareça, te dê prazer.

14. Não se cobre tanto
Não se sinta mal quando perceber que não é capaz de realizar certo tipo de tarefa. Ninguém é bom em tudo. Além disso, peça ajuda quando precisar. Não tenha medo nem vergonha de dizer que precisa da ajuda de alguém.
Perdoe-se e permita-se perdoar: tente não guardar mágoa do próximo e nem ficar remoendo coisas que você fez e se arrependeu.
E, muito importante: deixe trabalho no trabalho. Especialmente se trabalhar em casa, estabeleça horários e cumpra-os.

15. Preze por um sono reparador
Não queira passar a madrugada trabalhando, por exemplo. Saiba da importância de se dormir bem, por aproximadamente 8 horas diariamente.
Quando for deitar, desligue a TV, o celular, e vá aos poucos “acalmando” seus pensamentos, para que o sono venha e seja realmente reparador!

Todas essas são dicas simples, mas na correria do dia a dia, as pessoas não dão o devido valor.
Mas, vale destacar, em muitos casos de estresse, será necessário também ajuda profissional! “A pessoa reconhece que está estressada por alguns indícios emocionais, como o sofrimento por antecipação, os pensamentos negativos, não ter flexibilidade para nada ou não saber sair de situações simples”, comenta Lizandra.
“A falta de flexibilidade, sem dúvida, é um dos maiores indícios. Se algo sai do esquema que planejou, ela não consegue ter flexibilidade e jogo de cintura para mudar a rota. Essa é uma boa dica para saber o nível de estresse”, acrescenta a psicóloga.
Além disso, Lizandra explica que os sintomas físicos também contam: fortes e recorrentes dores na cabeça, no pescoço e nos ombros, dificuldades para dormir, cansaço extremo e fadiga muscular. Esses são sintomas bem clássicos de um nível alto de estresse. Por isso, se for o seu caso, não hesite em procurar ajuda profissional!


sexta-feira, 23 de junho de 2017

Manter uma vida ativa faz o corpo rejuvenescer até 9 anos

Pesquisadores descobriram que praticar alguma atividade física de forma moderada ou intensa deixa você mais jovem em nível celular

Quanto mais exercício você faz, menor é o ritmo de envelhecimento do seu organismo. Isso é o que diz um estudo publicado no periódico Preventive Medicine após analisar o DNA de pessoas ativas e sedentárias.

Os pesquisadores examinaram, durante anos, os telômeros — estruturas que se formam nas extremidades dos cromossomos para prevenir o desgaste do material genético — de aproximadamente 6 mil pessoas. Toda vez que uma célula se replica em nosso organismo, os telômeros se encurtam, o que os transforma em ótimos indicadores de envelhecimento (já se sabe que pessoas com telômeros curtos têm uma expectativa de vida menor e correm um risco maior de desenvolver doenças crônicas).

Como foi o estudo

Os participantes registraram por um mês sua rotina de atividades físicas e a intensidade com a qual realizaram esses exercícios. Além disso, forneceram amostras de DNA. O resultado das análises mostrou que a diferença entre pessoas fisicamente ativas e sedentárias era o equivalente a nove anos de envelhecimento celular.

Mas o mais importante é que as pessoas mais jovens a nível celular eram aquelas que não só praticavam atividade física regularmente mas realizavam exercícios intensos e duradouros – cerca de 40 minutos de corrida, cinco dias por semana.

Os autores do estudo descobriram que atividades moderadas também proporcionam um efeito rejuvenescedor, mas não na mesma escala. O ideal é se exercitar de 150 a 200 minutos por semana com sessões longas de esforço.

Então, não existe mais motivo para deixar a malhação para outro dia, não é mesmo? Além de manter a forma, a academia agora é capaz de ajudá-la a parecer mais jovem!


Fonte: http://boaforma.abril.com.br/fitness/manter-uma-vida-ativa-faz-o-corpo-rejuvenescer-ate-9-anos/ - Por Caroline Randmer (Colaboradora) - Jacob Ammentorp Lund/Thinkstock/Getty Images

quinta-feira, 22 de junho de 2017

3 hábitos que você deve abandonar se quer músculos mais definidos

Algumas características do seu treino atrapalham — e até sacrificam — seu ganho de massa

Fazer exercício cardiovascular antes da musculação
Você pode até achar que alternar entre cárdio e treino de força é uma boa opção para matar dois coelhos com uma cajadada só, mas infelizmente, a medida não é tão efetiva quando o assunto é definição de músculos. “É que o trabalho de força exige um grande esforço das fibras musculares para ser realizado, utilizando nossa principal fonte de energia, o glicogênio. Se você realiza um exercício cardiovascular, que tem como característica ser mais longo, acaba consumindo todo esse estoque, deixando os músculos sem energia suficiente para concluir as séries e repetições”, explica José Eduardo Pompeu, coordenador técnico da Bodytech João Cachoeira, em São Paulo. Aí, para compensar, você diminui a carga e descaracteriza todo o trabalho de hipertrofia.

Variar demais sua rotina fitness
O corpo precisa de estímulos diferentes para não estacionar, mas isso não quer dizer que você precise trocar de tática todo mês. “É normal adaptar o treino de tempos em tempos com aumento de cargas, alteração do número de repetições e diminuição no tempo de intervalo entre séries, mas antes disso é preciso deixar seus músculos se adaptarem”, conta Pompeu. Caso contrário fica difícil medir os resultados e seu progresso.

Adicionar instabilidade aos exercícios
Realizar movimentos em bases instáveis vai fazer maravilhas pelo seu core, mas nem tanto pelos seus músculos como você poderia imaginar. “Treinos com utilização de elementos de instabilidade exigem um conhecimento corporal e uma habilidade física mais apurada”, diz Pompeu. Apesar disso ser ótimo para a região abdominal, a lombar e o quadril o especialista explica que você acaba perdendo força e potência muscular.


Fonte: http://boaforma.abril.com.br/fitness/3-habitos-que-voce-deve-abandonar-se-quer-musculos-mais-definidos/ - Por Caroline Randmer (Colaboradora) - jacoblund/Thinkstock/Getty Images

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Vilões da saúde: 4 alimentos que envenenam o organismo

Conheça 4 alimentos que fazem mal à saúde, mas que você consome sem se dar conta dos riscos
  
Geralmente as pessoas ingerem certos alimentos sem se darem conta dos danos que eles acarretam à saúde. Um simples pãozinho francês com margarina ou um molho rosé para incrementar a macarronada podem conter alguns vilões que agem contra a vida saudável. A seguir, confira alguns deles:

Farinha branca
Todas aquelas gostosuras de padaria, tais como roscas, baguetes, tortas e muitas outras opções têm como matéria prima a farinha branca, que é rica em carboidratos simples (aqueles que são digeridos pelo organismo com maior facilidade e podem ocasionar no aumento do peso corporal). Além disso, este tipo de farinha é muito pobre em fibras, ocasionando em uma difícil digestão. O ideal é substituir os produtos que contêm farinha branca, por integrais – e essa substituição pode começar em casa: opte por comprar a farinha integral, assim, suas preparações ficam mais saudáveis.

Sal
O tempero é altamente rico em sódio, que é utilizado principalmente na fabricação de alimentos industrializados, por conta do seu alto poder de conservação. “O sódio, assim como muitos minerais, tem um papel fundamental no metabolismo celular como a transmissão do impulso nervoso, além de participar nas contrações musculares, no equilíbrio ácido-básico e na absorção de nutrientes pelas células. O que é prejudicial é o excesso de sódio circulante, devido muitas vezes ao consumo exagerado, o que leva a um descontrole nas concentrações e excreções de outros minerais, como potássio e cálcio”, esclarece o nutricionista Hugo Comparotto. Comidas congeladas e alimentos embutidos são ricos no mineral, por isso, evite.

Frituras
“Além das calorias que são acrescentadas ao alimento por causa da gordura, o aquecimento do óleo causa alterações em sua estrutura química e também forma uma substância cancerígena, chamada acroleína”, alerta Paula. Reaproveitar o óleo no qual o alimento foi frito também não é uma boa ideia, já que a prática ainda acarreta sérios problemas à saúde. Um deles é o aumento dos níveis de colesterol ruim (LDL) na corrente sanguínea, responsável pela alteração da pressão  arterial, o entupimento das artérias, entre outras complicações.

Creme de leite
Seja em doces, molhos ou em recheios de tortas, o creme de leite é por muitos considerado um aliado na cozinha. Porém, antes de abusar dele, é preciso lembrar da alta concentração de gorduras que possui. Na verdade, o tão apreciado creme é composto pelas gorduras existentes no leite, ou seja, a conhecida nata. Acrescenta-se ainda mais uma boa dose de compostos artificiais para ressaltar o sabor. “A alta quantidade de gordura saturada presente no creme de leite leva ao ganho de peso corporal e também ao risco de contrair doenças cardíacas”, explica Paula.


Fonte: http://www.sportlife.com.br/saude/saude-6-alimentos-envenenam-organismo/ - por Gabriel Gameiro - Foto Shutterstock.com

terça-feira, 20 de junho de 2017

5 lições de Bernardinho para superar limites no esporte

Legado de dedicação e eficiência do vitorioso treinador vai muito além das quadras de vôlei. Inspire-se!

Quando Bernardo Rezende, o Bernardinho, anunciou sua despedida do comando técnico da seleção brasileira de vôlei, causou comoção no mundo esportivo. Pudera: além da coleção de títulos em 22 anos à frente do time nacional (seis anos no feminino, depois 16 no masculino), o treinador deixou marcada a busca pela excelência. Se perfeição não existe, ele nunca deixou de persegui-la, instigando seus comandados a levantar a cada derrota e, mais ainda, não relaxar após a vitória. Confira cinco lições que podem ajudar você a não desistir de seus objetivos.

1 Motivação
Mesmo nos momentos mais difíceis, Bernardinho tinha uma palavra positiva. Cortar atletas para a lista final antes de uma competição sempre foi algo doloroso, mas ele deixava as portas abertas para novas oportunidades. Foi assim que o meio de rede André Heller absorveu o golpe quando ficou fora do Mundial de 2002 e retornou à seleção no ano seguinte, depois de ser aconselhado pelo treinador a focar mais o jogo coletivo. Após sua despedida, Bernardinho chegou a pedir desculpas aos atletas que teve que dispensar ao longo da carreira, em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo. “Quando você corta alguém, você não está demitindo, está acabando com o sonho de alguém…”, refletiu. Quem soube transformar a queda em recomeço não guardou mágoas. “Aquele exemplo que tive lá atrás, hoje eu levo para qualquer coisa que faço na vida”, disse Heller à Folha de S. Paulo.

2 Disciplina
Bernardinho sempre cobrou comprometimento de seus comandados. E as medalhas são provas concretas de que a disciplina nos treinos dá resultado. Também ao EE, ele comentou essa sua missão educadora que pretende continuar. “Sempre busquei que os jovens entendessem o valor da disciplina, do comprometimento. Abraçar uma causa: sempre acreditei nisso. Educar é transmitir valores. Isso é o que me move.”

3 Perseverança
“Todos nós teremos dificuldades. Tem que perseverar sempre, entender que vai ter altos e baixos. Não desistir. Acreditar e correr atrás.” Quantas vezes você não viu resultado nos seus treinos e pensou em desistir? O importante é seguir em frente!

4 Percepção
Ser verdadeiro consigo, reconhecer seus limites. Perguntado pelo blog Saída de Rede como está a vida sem a seleção, ele foi sincero. “Tem sido difícil, mas era o certo”, confessou. O filho Bruninho, levantador da seleção, contou ao SporTV News que a família o convenceu a diminuir o ritmo — hoje, ele trabalha “apenas” no Rexona/Sesc, equipe papa-títulos no vôlei feminino brasileiro. Problemas de saúde (já superados) e ausência do convívio familiar nos últimos anos ajudaram na decisão do treinador. E você, conhece seus limites?

5 Paixão
Bernardinho repetiu várias vezes que o que o motiva é o desafio, a paixão. Estar à beira da quadra sempre foi sua maior responsabilidade, mas também seu maior prazer. Numa entrevista em 2014 ao Diário Catarinense, ele deixou essa frase preciosa: “Um bom treino me dá uma satisfação que você não tem noção.” Se você escolheu o esporte certo, tem tudo para transformar suor em resultado!

Bernardinho = exemplo
Em 2003, Bernardo Rezende criou o Instituto Compartilhar, em Curitiba, um programa de inclusão através do esporte. Este repórter certa vez perguntou a ele o que ainda o motivava depois de tantas conquistas: “Poder fazer com que os jovens tenham oportunidade de praticar um esporte e viver os valores do esporte não tem preço. Se de alguma forma eu vou continuar por aí, tenho certeza que quero continuar ensinando.”


Como controlar as alergias respiratórias

Para muitas famílias, é quando o clima esfria que vem a preocupação com rinite, asma... Especialistas indicam cuidados essenciais para prevenir chateações

As alergias respiratórias mais comuns em crianças e adolescentes são a rinite alérgica, caracterizada por entupimento nasal, coceira, espirro e sensação de nariz escorrendo, e a asma, que se manifesta com chiado no peito, tosse e falta de ar. Às vezes, a criança com asma só apresenta tosse persistente ou um aperto no peito após a prática de exercícios.

As doenças alérgicas ocorrem principalmente em pessoas com predisposição genética. Elas apresentam vários sintomas ao entrar em contato com determinadas substâncias no ambiente, caso da poeira. Como pode ser difícil diferenciar as manifestações de uma alergia respiratória daquelas decorrentes de um resfriado, em algumas ocasiões é necessária uma avaliação médica.

Na realidade, alguns fatores podem causar ou piorar as reações alérgicas, como viroses, pó (contendo substâncias liberadas por ácaros, baratas e animais domésticos) e bolor. A fumaça e os odores do cigarro também têm um papel prejudicial aqui.

Poucas regiões do Brasil apresentam estações do ano bem definidas. Mesmo assim, entre março e setembro, nas regiões Sul, Sudeste e em parte do Centro-Oeste, as temperaturas médias ficam mais baixas. O frio, por sua vez, faz com que as pessoas permaneçam mais tempo em ambientes fechados, o que eleva a circulação de vírus e o contato com substâncias potencialmente nocivas.

Alguns procedimentos simples ajudam a evitar a ocorrência ou a piora de sintomas de alergia nos dias mais frios. São eles: evitar aglomerações excessivas e lavar as mãos com frequência, principalmente após o contato com pessoas em lugares públicos. Também é fundamental consultar o pediatra sobre a indicação da vacina da gripe, sobretudo no caso de portadores de asma.

Nas residências com crianças alérgicas, sugerimos evitar carpetes ou cortinas de pano que acumulam poeira, especialmente nos quartos. Como os ácaros se multiplicam no interior dos colchões, devemos promover uma espécie de barreira, usando capas plásticas impermeáveis — o mesmo cuidado vale para os travesseiros.

As roupas de cama devem ser lavadas semanalmente com água quente (acima de 56 ºC). É prudente evitar cobertores de lã.

Remover lixos, não deixar papéis acumulados e dedetizar a residência para o controle de insetos, principalmente baratas, são outras medidas a serem tomadas. Também não recomendamos que animais domésticos frequentem os quartos. Por falar neles, é imprescindível que sejam mantidos limpos, com banhos semanais. A exposição ao cigarro ou à sua fumaça precisa ser vetada.

As oscilações da umidade de ar também representam um problema. No tempo seco, as defesas naturais das vias aéreas ficam prejudicadas. Daí a importância de mantê-las umidificadas e desobstruídas. Para tanto, devemos beber bastante líquido e usar o soro fisiológico nasal.

Domicílios com aquecimento tendem a diminuir a umidade do ar. Nesse caso, indicamos o uso de um umidificador por períodos curtos e sempre observando a presença de bolores. Se houver aparelho de ar-condicionado, é preciso verificar, de tempos em tempos, a manutenção dos filtros. Nos locais mais úmidos, por sua vez, há o risco do aumento dos bolores. Portanto, devemos inspecionar as paredes e corrigir eventuais vazamentos e áreas de infiltração de água.

Em resumo, os princípios gerais de higiene e bem-estar no domicílio são especialmente válidos no contexto de temperaturas mais baixas, época em que necessariamente as pessoas ficam mais tempo em ambientes fechados. Com esses cuidados, o convívio e o aconchego familiar poderão ser desfrutados por todos.


Fonte: http://saude.abril.com.br/blog/experts-na-infancia/como-controlar-as-alergias-respiratorias/ - Por Dra. Vera Rullo e Dr. Marcos Nolasco - SAÚDE/SAÚDE é Vital

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Veja receitas para afastar os odores desagradáveis de casa

Antes de perfumar, limpe. Essa é a regra número um para deixar a casa cheirosa.

"Não adianta passar produtos com fragrâncias antes de fazer a higienização do ambiente e de neutralizar os odores desagradáveis. Isso só vai sobrepor um cheiro forte a outro e, muitas vezes, o efeito pode ser pior", diz a organizadora pessoal Carol Rosa.

As principais fontes de mau cheiro doméstico são micro-organismos, como fungos ou bactérias, que se proliferam em roupas usadas (mesmo as aparentemente limpas), locais úmidos ou em matéria orgânica, como restos de comida, por exemplo.

Desumidificadores são uma boa solução para tirar o cheiro de mofo ou bolor. Há produtos elétricos ou soluções que podem ser borrifadas em armários e gavetas.

"O ideal é usar uma solução líquida que também elimine ácaros, uma das principais fontes de alergia", afirma Sarah Lazaretti, diretora da Alergoshop, loja especializada em produtos para pessoas alérgicas.

Um truque para tirar a umidade e o cheiro de mofo do armário é deixar um aquecedor que ventila ar quente ligado por uma hora em frente ao guarda-roupa com as portas abertas, indica Rosângela Campos, da consultoria Domus Organizzare.

Ela também recomenda usar um tecido de flanela sobre o colchão e passar ferro quente, para absorver umidade e mau cheiro na cama.

Água perfumada para tecidos pode ser usada em lençóis, colchas, cortinas e estofados. Lazaretti recomenda fragrâncias bem suaves para o quarto. "A escolha do aroma é muito pessoal, mas é bom saber que um dos cheiros com mais potencial alergênico é o de gardênia", diz.

Além de soluções caseiras e naturais, aparelhos como limpadoras a vapor são úteis para eliminar os causadores de mau cheiro.

Purificadores de ar, indicados para filtrar partículas de poeira, também ajudam a tirar cheiros como o de cigarro. Há modelos com recipiente para colocar óleos aromáticos, que limpam e perfumam ao mesmo tempo.

CASA PERFUMADA
Uma estratégia para cada espaço

QUARTO
Guarde só roupas limpas no armário; use desumidificadores ou potes com pedaços de giz para absorver umidade interna e perfume as gavetas com bolinhas de cedro.
No colchão e nos travesseiros, use capas que podem ser lavadas regularmente. Água perfumada para tecidos pode ser usada em lençóis limpos e cortinas.
Para tirar cheiro de bichos de pelúcia, coloque-os em saco plástico bem fechado e deixe por cerca de duas horas no congelador.
Aromas mais apropriados para o quarto: lavanda, laranja e cedro, borrifados ou com difusores de varetas -estes últimos deixam um perfume muito sutil, mas constante

SALA
Tire o mau cheiro de estofados e tapetes esfregando uma mistura de 3 colheres (sopa) de vinagre de álcool em um litro de água. Para odor de cigarro, coloque 500 ml de álcool em um borrifador, junte galhos de alecrim e flores secas de camomila e deixe descansar por três dias; use no ambiente e nos tecidos, quando necessário.
Cubra as cerdas de uma escova com um meia de náilon velha e passe no sofá para tirar pelos de animais, que deixam cheiro nos móveis. Para tirar odor de urina, limpe o local com água morna e vinagre e depois passe um pano embebido em leite. Na sala, podem ser usados difusores elétricos para aromas como laranja, rosa ou baunilha

BANHEIRO
Faça primeiro uma faxina com produtos sem perfume: água e sabão, detergente neutro ou água sanitária em pontos críticos, como vaso e ralo.
Deixe as escovas para lavar vaso mergulhadas em água com gotas de óleo aromático. As lixeiras podem passar por um banho mais caprichado a cada 15 dias: encha o recipiente com água, misture uma tampa de água sanitária e deixe de molho por duas horas. O perfume é adicionado na hora de trocar o saco de lixo, colocando um pedaço de algodão umedecido em aromatizante no fundo do saco.
Velas aromáticas de citronela, hortelã e rosa ajudam a neutralizar cheiros típicos do banheiro

COZINHA
Limpe a geladeira com água e sabão neutro e deixe uma raminho de alecrim dentro para absorver outros aromas. Tire a sujeira e elimine os cheiros das bancadas, do micro-ondas e do fogão com água morna e sabão em barra amarelo. Quando estiver grelhando carnes, deixe um pratinho com pedaços de carvão em uma prateleira alta para absorver o odor.
Para eliminar cheiro de fritura e perfumar a cozinha, coloque em uma panela uma maçã cortada em quatro, dois paus de canela e um punhado de cravos-da-índia em 500 ml de água e deixe cozinhar em fogo baixo. Na cozinha podem ser usados aromatizantes de alecrim, limão e hortelã. Evite cheiros que briguem com o cheiro da comida.


domingo, 18 de junho de 2017

A importância do sono para o treino e a dieta

O sono é parte fundamental dos resultados do seu treinamento e alimentação. Entenda de que forma ele regenera o seu corpo

O sono inadequado pode interferir em diversos processos do organismo que, direta ou indiretamente, poderão afetar a sua saúde. Durante o sono profundo é realizada a liberação do hormônio GH, que está relacionado ao crescimento das crianças. Nos adultos, é um dos responsáveis por auxiliar na redução de gordura e poupar os músculos - não à toa, a perda ou ganho de peso e a hipertrofia muscular são as principais questões entre aqueles que sonham com o corpo ideal.

Por que devemos dormir bem?

Um soninho agora não seria uma má ideia...
Dormir pouco ou mal diminui a formação de melatonina (hormônio do sono, que regula nosso “relógio biológico”). Consequentemente, baixa os níveis de leptina (hormônio responsável pela sensação de saciedade) e aumenta os de grelina (hormônio que se refere à fome). Por isso, quando dormimos pouco ficamos com mais fome e queimamos menos gordura. Além disso, quem passa a noite em claro acaba procurando alimentos mais calóricos e menos saudáveis durante o dia.
E essa dificuldade em sentir saciedade acaba provocando a compulsão alimentar. Segundo os especialistas, existe um mínimo de horas de sono indicado para ajudar na perda de peso. Até mesmo para auxiliar no ganho de massa muscular são necessárias, pelo menos, 6 horas de sono de qualidade - ou seja, reparador e sem interrupções.

Auxílio do cardápio

Comer bem é parte fundamental do treinamento!
Uma boa notícia para aqueles que encontram dificuldades na hora de dormir: existem alguns nutrientes e alimentos aliados do sono de qualidade. Confira quais são eles:

• Triptofano: está presente em ovos, grão-de-bico, banana, semente de gergelim, cacau e leite;
 • Passiflora incarnata: é conhecida como a folha do maracujá e ajuda a ativar os receptores do neurotransmissor da serotonina, o hormônio do bem-estar;
 • Melatonina: encontrada na aveia e arroz integral.


sábado, 17 de junho de 2017

Bauru vira sobre Paulistano e é campeão inédito do NBB

Alex Garcia foi comandante da campanha vitoriosa do time do interior de São Paulo

O Bauru é o novo campeão do NBB. O time venceu o Paulistano por 92 a 73 (25 a 21 no intervalo) para ficar com o título inédito, na nona edição do campeonato nacional de basquete. O melhor jogador das finais foi o experiente Alex Garcia, que anotou 24 pontos na partida deste sábado (17), no Ginásio Gigantão, em Araraquara.

Essa foi a primeira vez que nem Flamengo (cinco títulos), nem Brasília (três títulos) participaram da final — anteriormente, o campeonato era organizado não pela Liga Nacional de Basquete, mas pela Confederação Brasileira de Basquete.

A partida esteve equilibrada até o intervalo. Mais experiente, o time do técnico Demétrius Ferracciú soube converter as bolas mais fáceis com Alex, Léo Meindl, Gegê, Jefferson e Shilton para pouco a pouco se distanciar no placar. Do outro lado, a equipe do treinador Gustavinho se perdeu em momentos decisivos e não conseguiu organizar bons ataques com os jovens e talentosos prospectos da NBA Georginho, Mogi e Lucas Dias.

O caminho para o título do Bauru passou por uma defesa que se acertou ao longo da série. Depois de perder os dois primeiros jogos, o time mudou a atitude na quadra de defesa e passou a agredir mais os jogadores do Paulistano, pela segunda vez vice-campeão.

Nos últimos minutos, a torcida bauruense que invadiu Araraquara fez a festa para as cestas decisivas de Alex sob os gritos de “MVP”. Apesar da nova organização, o Bauru comemora também o título nacional de 2002.